Second Life

Origem: Malucopédia, a enciclopédia insana
Ir para: navegação, pesquisa
Woot.gif
NOT SAFE FOR WORK
Cuidado! Este artigo ou categoria pode dar problemas se visualizado no trabalho ou na escola
Ele contém nudez em computação gráfica.
60px-Uiquiilogo botante.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Second Life.

O Second Life é um universo paralelo descoberto acidentalmente em 2001 pelo cientista nerd Philip Rosedale. Seu ambiente consiste basicamente em pessoas e lugares feitos de pixels e polígonos. Na tentativa de entrar em contato com esse mundo Rosedale fundou a Linden Lab e criou um software no qual nerds comuns podem acessar o universo virtual usando avatares.

Pra muitos a "segunda vida" é na verdade a primeira.

À primeira vista o Second Life é um mundo perfeito: se você é um tribufu na vida real você tem a chance de ser a mulher mais gostosa do mundo na segunda vida. Se você é um magricelo ou um gorducho de dar medo você pode se transformar num saradão sem precisar malhar ou fazer dieta. E o melhor: não tem criança melequenta nesse universo. Todos já nascem adultos (que sofrimento pra mulherada de lá).

E se você é virgem e nerd (o que dá no mesmo) você pode se gabar de ter comido dezenas de gostosas.Mas o buraco é mais embaixo: 99% das gostosas que você come no Second Life são tribufus na vida real, e os 1% restantes são HOMENS. Isso mesmo, seu homossexual: você passa madrugadas fodendo com outros homens e nem se dá conta. Mas como distinguir as putas dos viados? Simples: mulher no Second Life é tão difícil quanto na vida real. Não é só dizer "let's fuck?", tem que ter um bom papo pra elas darem ou tu fica só na punheta mesmo (se bem que tu fica na punheta de qualquer maneira, pois quem fode são os avatares).

Exemplo[editar]

É assim que você imagina a pessoa com que você está conversando
Na verdade, o que você está comendo é isso.

Ageplay[editar]

Um hábito muito comum no Second Life é o ageplay: pirralhos e pirralhas roubam a identidade do papai e da mamãe e mentem a idade para ter acesso a regiões adultas e foder virtualmente na frente do computador, metendo a mão nas calças dando umazinha consigo mesmos.

Essas crianças são tão experientes nisso que conseguem teclar com uma só mão enquanto tocam umazinha com a outra (mão). Mas o contrário também acontece: pessoas velhas e decrépitas que não conseguem mais sequer executar um autoerotismo fingem ser jovens e engodam garotos e garotas para tentar lembrar o que era ser desejado pelo gênero oposto.

Ageplay: essa gata...
...pode na verdade ser essa vovó

Uma conversa normal no Second Life...[editar]

...e no que essas conversas sempre descambam